domingo, 19 de maio de 2019

A Bíblia é o livro mais lido em todos os tempos

A Bíblia é o livro mais lido em todos os tempos
A Bíblia é o livro mais lido em todos os tempos
Com toda a certeza, esse é um livro - no mínimo revolucionário, e por conta dele, muitas pessoas mudaram seu modo de vida e relacionamentos, bem como criaram uma nova sociedade, baseada nos princípios que este livro descreve ao longo de sua história de 1.600 anos. Mas, vamos entender, porque a Bíblia é incomparável a outros livros?

"A Bíblia é o livro mais lido em todos os tempos." 

Calcula-se que foram impressos mais de 4,7 bilhões de exemplares da Bíblia (completa ou em parte). Isso representa mais de cinco vezes o número de exemplares do livro Citações do Presidente Mao Tsé-tung, a segunda publicação de maior distribuição.

Recentemente, mais de 50 milhões de exemplares da Bíblia, completa ou em parte, foram distribuídos em apenas um ano. De acordo com um relatório na revista The New Yorker, "todos os anos a Bíblia é o livro mais vendido do ano".
  • Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para ensino, para repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente preparado para toda boa obra. 2ªTimóteo 3:16-17
Partindo desse texto, sabemos então que a Escritura, ou seja, a Bíblia é inspirada por um Deus, mas que Deus é esse?

Existem diversas religiões pelo mundo afora, algumas creem em apenas um Deus, outras creem que existem vários deuses.

O que é a Bíblia?

A Bíblia é um livro diferente. Na verdade, trata-se de uma pequena biblioteca, composta de 66 livros escritos por cerca de 40 autores, das mais variadas culturas, origens e ocupações, durante um período de 1600 anos. Bíblia vem do grego Bíblion, que significa livros. É sinônimo de "Escrituras Sagradas" e "Palavra de Deus".

A Bíblia contém 66 livros: 39 do Antigo Testamento e 27 no Novo Testamento;

Foi escrita por: 40 autores, durante 1.600 anos;

Línguas originais da Bíblia: hebraico, aramaico (a língua que Jesus falava) e grego;

Ela contém: 1.189 capítulos e 32.102 versículos;

A Bíblia é o livro mais vendido do mundo: já foi traduzida para 2.403 línguas diferentes.
Pode-se dizer que a Bíblia está sub-dividida em 5 partes: História, Poesia, Profecia, Evangelhos e Cartas.

Para entender melhor a palavra de Deus, temos que saber em que contexto ela se encontra, se a leitura está te relatando uma história, uma poesia ou ambas misturadas, ou outras. É por isso que existem tantas religiões e tantas seitas hoje em dia, várias com visões totalmente diferentes sobre os mesmos temas da Bíblia. Falta de observação e conhecimento da palavra de Deus. Portanto, devemos ficar atentos, pois "Um texto sem um contexto, se torna um Pretexto".
Uma breve explicação de como se entender ou estudar a palavra de Deus, a Bíblia:

1- Os livros Históricos da Bíblia começam em Gênesis e vão até o livro de Ester no antigo testamento e inclui-se também o livro Atos dos Apóstolos no novo testamento. A parte história da Bíblia, aproximadamente 90% se entende como se lê, o restante foi escrito numa linguagem simbólica, profética;

2- Os livros de Poesia da Bíblia são: Jó, Salmos, Provérbios, Cantares (Cântico dos Cânticos) e Eclesiastes. A parte poética da Bíblia, aproximadamente 85% se entende como se lê, o restante foi escrito numa linguagem simbólica, figurativa, profética;

3- Os livros de Profecias da Bíblia começam em Isaías e vai até Malaquias, e Daniel no antigo testamento e inclui o livro de Apocalipse no novo testamento. A parte profética da Bíblia, aproximadamente 95% não se entende como se lê;

4- Os livros de Evangelhos da Bíblia são 4, sendo eles: Mateus, Marcos, Lucas e João. Eles narram a vida de Jesus Cristo desde o sEu nascimento até a ressurreição e volta futura. A parte de evangelhos da Bíblia, aproximadamente 85% se entende como se lê, o restante são parábolas;

5- Os livros de Cartas da Bíblia começam em Romanos e vão até Judas. A parte de cartas da Bíblia, aproximadamente 90% se entende como se lê, o restante é simbólico ou profético.

O mais interessante em estudar a Bíblia é que ela mesma informa como e porque devemos estudá-la:

Porque é preceito sobre preceito, preceito e mais preceito; regra sobre regra, regra e mais regra; um pouco aqui, um pouco ali. Isaías 28:10.

Errais por não conhecer as escrituras e nem o poder de Deus. Mateus 22:29

E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará. João 8:32

Milhares de pessoas já deram a vida, literalmente, em defesa das verdades nela contidas. Por abraçarem essas verdades, blasfemos já se tornaram reverentes, ébrios se tornaram sóbrios, criminosos se tornaram confiáveis, ladrões se tornaram honestos; adúlteros se tornaram puros.

Veja o que a própria palavra diz sobre si mesma:

Todas as escritas outrora foram escritas para nossa instrução, para que, por intermédio da nossa perseverança e por intermédio do consolo das Escrituras, tivéssemos esperança. Romanos 15:4

Pense nisso: Se a Bíblia fosse só um livro “sagrado” ou uma obra literária qualquer, tantas pessoas confiariam nela para instruir e orientar suas famílias? Tantas pessoas morreriam apenas pelas palavras nela? Se a Bíblia fosse um conjunto de mitos, será que as promessas nela contidas dariam consolo e esperança? Milhões de pessoas que estudaram ou estudam a Bíblia estão convencidas de que somente ela é a Palavra de Deus. Por que? O que diferencia a Bíblia de todos outros livros?
O que torna a Bíblia um livro Incomparável?

Demonstraremos alguns exemplos de veracidade da Bíblia no contexto histórico, profético, harmônico, científico e prático:

História

Muitos que não estudam direito a Bíblia, dizem que ela não passa de contos de fada ou mito. Mas, lendas e mitos não mencionam lugares, datas e nomes de personagens reais. A Bíblia dá inúmeros detalhes históricos que garantem aos seus leitores que suas palavras são verdade.

A tua palavra é a verdade desde o princípio, e cada um dos teus juízos dura para sempre. Salmos 119:160

Um exemplo clássico da historicidade bíblica é o período de escravidão dos judeus exercida por Nabucodonosor, rei da Babilônia. Entre outras histórias sobre esse período, a Bíblia conta que Nabucodonosor levou o rei de Judá – Joaquim, ao exílio, na Babilônia.

Depois disso sucedeu que, no ano trinta e sete do cativeiro de Joaquim, rei de Judá, no mês duodécimo, aos vinte e sete do mês, Evil-Merodaque, rei da Babilônia, no ano em que reinou, levantou a cabeça de Joaquim, rei de Judá, tirando-o da casa da prisão.
E lhe falou benignamente; e pôs o seu trono acima do trono dos reis que estavam com ele em babilônia.
E lhe mudou as roupas de prisão, e de contínuo comeu pão na sua presença todos os dias da sua vida.
E, quanto à sua subsistência, pelo rei lhe foi dada subsistência contínua, a porção de cada dia no seu dia, todos os dias da sua vida. 2 Reis 25:27-30

O que foi descoberto pelos arqueólogos:

Os arqueólogos descobriram nas ruínas da antiga Babilônia documentos administrativos datados do reinado de Nabucodonosor II. Esses documentos listam porções de alimento dadas aos trabalhadores e cativos que viviam na Babilônia. As listas incluem "Yaukin que é Joaquim, rei da terra de Yahud que é Judá", e sua família.

E o rei Evil-Merodaque, sucessor de Nabucodonosor, será que ele realmente existiu?
Uma inscrição num vaso encontrado perto da cidade de Susa diz:

Palácio de Amil-Marduque que é Evil-Merodaque, rei da Babilônia, filho de Nabucodonosor, rei da Babilônia.

Existe outro texto religioso antigo histórico tão específico e exato?

É claro que existem diversos relatos bíblicos históricos que são ou estão sendo provados atualmente mas há ainda alguns que não foram provados devido a perda de conteúdos (evidências) pela própria ação do tempo e extravio. Essa falta de evidências não significa que elas não existiram, mas podemos acreditar que as que existem, comprovam a veracidade da Bíblia quando se trata de contar a história em verdade e ainda por cima com detalhes.

Fonte:

Raciocínio Cristão

Nenhum comentário:

Postar um comentário